“Cyberativismo” campanha SEO e a espiral do silêncio

“Se você é jovem militante petista, seja dirigente ou simpatizante, reserve esta quinta-feira, 10 de abril, para um compromisso importante.”

E assim começa mais uma tática triste que acontece em nosso país. A criação de “militantes” engajados que são responsáveis por difamar e agredir a oposição assim como defender por meio de conflitos e brigas o candidato de sua preferência.

Analisando pela ótica das campanhas isso não tem nada de ilegal, contudo gera uma grande briga com ataques ao invés de serem deflagrados argumentos.

 

partidao

Os amigos do PT e posteriormente PSDB infectaram as redes sociais assim como comentários de grandes jornais e geram uma imensa quantidade de conflitos e conteúdos inúteis e, se quer saber, funciona por causa do SEO (Search Engine Optmization).
Ao relacionarmos os nomes dos candidatos de oposição a certos tipos de palavras, influencia-se os buscadores a associar o nome do candidato a algo ruim.

Se você colocar que “Aécio Neves é corrupto” em muitos canais de destaque (Folha, Estadão, redes sociais…) você estará dizendo aos grandes buscadores de que “Aécio” e “corrupto” são palavras afins, gerando aquele grande problema do Google de autocompletar.

 

Era isso até que Aécio tentou fazer ao entrar com o pedido de proibir associação de palavras nos buscadores estilo Google. Uma manobra burra, porque desconsiderou os engajados de redes sociais que o PT tem. Estes saíram batendo no candidato gerando uma repercussão negativa para Aécio.

 

Além disso, com muitos engajados prontos para criticar qualquer coisa que se fale do candidato, ratifica-se o “Espiral do Silêncio”, teoria que defende a ideia de que as pessoas tendem a se calar quando estão em um ambiente que sua opinião é minoria. Se ao escrever algo contra um candidato, cinco, dez pessoas vierem te criticar a tendência será você não mais publicar algo negativo contra aquele candidato.

E é isso que o PT quer, pessoas que livremente se engajam para proteger o grande partidão vermelho brasileiro e os outros partidos vão na onda do trendsetter tornando nossa política cada vez mais parecida com brigas de vizinho.
 

Confira o chamado na íntegra.

 

PT NAS REDES

Se você é jovem militante petista, seja dirigente ou simpatizante, reserve esta quinta-feira, 10 de abril, para um compromisso importante.

É dia de participar da Oficina de Cyberativismo, no auditório da sede nacional do #PT, em Brasília, no Edifício Tufic (Setor Comercial Sul, quadra 2, Bloco C).

O cyberativismo tem sido alternativa valiosa para contornar a armadilha dos meios de comunicação de massa tradicionais, atrelados ao pensamento único conservador.

É uma ferramenta que faz a diferença no mundo da comunicação nos tempos atuais. É útil para mobilização social, organizar reuniões políticas e culturais e disseminação de mensagens a um número extraordinário de pessoas sem depender dos donos das TVs, rádios e jornais.

O evento destina-se em particular à juventude petista, que vem de uma vitoriosa trajetória de lutas e conquistas e busca novas formas de interação com o segmento jovem da população.

A programação da oficina, que começa às 9h, inclui o funcionamento das redes sociais, melhores práticas de interação, criação e compartilhamento de conteúdo na Internet.

O esforço que a direção do PT faz na busca de fortalecimento e consolidação de políticas para a juventude mira esse caminho.